Alimentação dos cavalos

 

ALIMENTAÇÃO DOS CAVALOS
 
 
Por Dr. Alysson Leônidas
 
             O aparelho digestivo do cavalo está preparado para receber pouco alimento de cada vez, mas muitas vezes ao dia, uma vez que no estado selvagem o cavalo  passava o seu dia a  pastar e a beber água.
    Nos dias de hoje a rotina alimentar dos equinos está quase totalmente alterada, graças á sua domesticação e ao esforço físico a que estão sujeitos.
             Mesmo sofrendo algumas alterações a nível alimentar o aparelho digestivo do cavalo mantém-se igual ao dos seus antepassados.
             Após os dentes da frente e os lábios selecionarem e apanharem a comida,  esta é moída pelos dentes de trás, iniciando assim a digestão. A comida é então engolida, passa pelo esôfago e entra no estômago, o qual tem uma capacidade de 8 litros. Do estômago a comida  passa para o intestino delgado, cólon largo e curto e reto. O intestino delgado do  cavalo  é  estreito  e  mede cerca de dois metros. É no intestino delgado que são decompostos os açúcares, proteínas e gorduras. No intestino grosso são digeridas as fibras, que são a  principal fonte  de  energia  por intermédio de bactérias e micróbios que as fermentam.

             É essencial uma dieta equilibrada, com todos os nutrientes que o cavalo precisa.

Os componentes essenciais na dieta de um cavalo são:
 
Água - A  necessidade  de  água depende  da  temperatura, do esforço a que o cavalo está sujeito, da sua alimentação e da sua idade.
Hidratos de carbono- Estão presentes no amido (que por sua vez é encontrado nos  cereais ), nos açucares (presente em todos os alimentos, principalmente no melaço e na erva fresca) e em certos componentes das fibras.
Óleos e gorduras- Os óleos estão  presentes  em  pequenas  quantidades  na maior parte  das rações comerciais. Pode acrescentar-se á dieta óleo vegetal.  Este  contém  duas  vezes  e  meia mais  energia   que   os   hidratos   de carbono,  podendo  ser  utilizado  como  fonte  de  energia concentrada.
Fibras- Encontram-se em todos os alimentos, principalmente na palha, feno e erva.
Proteínas- Quando  são  decompostas  dão  origem  aos  aminoácidos  que  são  utilizados  na gravidez, na produção de leite, no crescimento e na reparação de tecidos.
Minerais- O equilíbrio de minerais mais importante é o do cálcio e fósforo, com uma  proporção de parte e meia de cálcio para uma parte de fósforo. O magnésio, o sódio, o cloro e potássio são os outros minerais principais. Os minerais secundários são o cobre, o ferro, o selênio e o zinco.
• Vitaminas- As vitaminas principais são A, D, E, K e o grupo B. Ajudam a  controlar  as  reações químicas e bastam pequenas quantidades para uma boa manutenção da saúde do animal.                   Alimentos como a palha ou o feno  seco  são  pobres  em  vitaminas,  enquanto  que  as  erva  e alimentos verdes têm uma grande concentração de vitaminas.

             Regras da boa alimentação:

• O cavalo deve ter sempre á disposição água fresca e limpa.
• Dar ao cavalo pelo menos duas refeições por dia, se tiver  um trabalho leve  ou  estiver  fora  de trabalho. No caso de ter um esquema de trabalho completo  o  cavalo  deve  comer  entre  três  a quatro vezes ao dia.
• A quantidade de comida dada ao cavalo deve ser baseada no seu peso e não no volume.
• Alimentar o cavalo tendo sempre em conta a sua estatura e peso.
• A alimentação do cavalo deve ser regulada  pelas  horas  de  trabalho  e  pelo  tipo  de  trabalho realizado pelo animal.
• Nunca utilizar rações moles ou que tenham algum tipo de sujidade.
• Não fazer alterações bruscas na dieta, para prevenir possíveis problemas digestivos.
• Não trabalhar o cavalo logo a seguir a  refeição.  Aguardar  duas   ou  três  horas para iniciar o trabalho!
• A seguir ao trabalho deve-se aguardar uma hora antes de alimentar o cavalo.
• Obedecer a uma rotina horária na alimentação.
• A alimentação do cavalo deve ser composta pelo menos por 50% de fibras.

              O que se deve dar aos cavalos:

Forragem (feno, luzerna, substitutos do feno e silagem).
Cereais- milho, cevada e  aveia.  São  dados  ao  cavalo  moídos,  floculados  ou  micronizados (cozidos) aumentando assim a sua digestibilidade.
Fibras- Encontra-se na parte fibrosa das cascas dos grãos de milho e é também  utilizada  para aumentar o volume das rações.
Beterraba- É utilizado o sub produto depois  da  extração  do  açúcar. Deve  ser  molhada  para evitar problemas durante a digestão.
Rações compostas- Alimento completo e equilibrado fornecendo o valor  de  proteínas,  fibras, vitaminas e minerais necessários ao cavalo.  Apenas  se  deve  acrescentar  á  dieta  forragem e água.
Guloseimas- Para aumentar o volume  da  ração  e  para  torná-la  mais  apetitosa  adiciona-se alimentos como a maçã ou cenoura.
              Problemas relacionados com a alimentação:

             Uma alimentação incorreta ou modificações bruscas na dieta do  cavalo  podem  levar  a graves complicações. Deve consultar imediatamente um MÉDICO VETERINÁRIO caso  suspeite de algo.

Cólicas
            Um dos sintomas destas dores abdominais é o cavalo insistir em estar deitado e  rebolar-se e rolar sobre o chão sistematicamente.  Isto  deve  ser  contrariado  mantendo-o em pé  e  em  movimento, a  passo para evitar um estrangulamento do intestino.
As cólicas podem ter como causa:
• Acesso do cavalo à água quando se encontra sobreaquecido;
• Vício de engolir ar;
• Ingestão de areia;
• Alimentos úmidos, molhados ou contaminados;
• Comer sofregamente e não mastigar antes de engolir;
• O intestino dobrado;
• Mudança repentina na dieta.

Laminite
            É também conhecida como aguamento e são vitimas desta doença  cavalos  que  comem em demasia, principalmente alimentos com muitas proteínas, pode ser causada por:
• Pancada ou concussão;
• Situação de grande stress;
• Sobre – alimentação;
• Gravidez (relacionado com a inflamação do útero).

Azotúria
           Tem como causas:
• Desequilíbrio mineral;
• Alterações hormonais;
• Sobre-alimentação de cereais em cavalos em descanso
 
 
Dr. Alysson Leônidas
Médico Veterinário
CRMV – PB 01205
 

Outros registros:

Aquiles PURE recebe grande oferta em dinheiro após boa apresentação em Sumé
Em Junho teremos mais um parque de vaquejada inaugurado com 60 mil em prêmios
Viviane Santos faz aquisição de animal por mais de 100 mil reais pra disputar circuito PE PB
Artigo: Vaquejada de Sumé foi um show de vaquejada pra ninguém esquecer!
2ª etapa PE PB: Resultado Final da 9ª Vaquejada de Sumé-PB-Parque Haras VILA COWTRY


Ver todos os registros

Busca




Cadastre-se






Anunciantes

Enquete

Como você gostaria que fossem escolhidos os melhores do Ano Cariri 2016?

 Pesquisa aleatória em eventos!
 Soma de pontos em corridas cadastradas.
 Votação em enquetes no mês ant. ao evento.

 

Mural de Recados

Clique AQUI e deixe o seu recado!

 
Posso trabalhar revesando com Dr Alysson,sou vet de equinos.
Por: Alexsandra em 01/02/2016, 01:16h
 
eu gostei das novas regras do circuito PE PB de a dupla correr correr de capacete. so rígida pelo fato que muitos vaqueiro nao corre com o capacete atacado.
Por: gordo em 25/01/2016, 18:42h
 
Alguém sabe dizer se a disputa do profissional no vila cowtry vai ser hoje ou amanhã?
Por: Janio Leite em 23/01/2016, 10:04h
 
Óla,amigos vaqueiros continuando o que o amigos vaqueiro citou no seu comentário abaixo,que esse premio melhores do carri paraibano deveria ter uma listas de parques que estão valendo ponto para o evento, que e pra o vaqueiro poder se dedicar e ir em busca de um premio para os melhores do ano merecedor da sua categoria, ´porque não e justou lançar lista de melhores do ano so no final e sem saber que estar pontuado ,tem que ter um lista como em todo evento tem eo vaqueiro poder saber se estar pontuando ,mas não existi essa tabela de pontuação ai e chato pro vaqueiro que realmente se esforçou o ano enteiro para ganhar, fica ai a minha opinião.Obrigado a todos.
Por: Neto Correia em 20/12/2015, 21:06h
 
Cadê a relação dos profissionaiso de trabalh que serão premiados no melhores do ano do cariri?
Por: Artur em 18/12/2015, 19:29h
 
TENTEI A TODO CUSTO FALAR COM O RESPONSAVEL DO EVENTO MELHORES DO ANO PRA SABER O CRITEIRO QUE LEVA O VAQUEIRO A SER RECONHECIDO MELHOR DO CARIRI PARAIBANO. NAO CONSEGUI EXITO PRQ TENHO PLENA CERTEZA QUE GANHEI MUITO MAIS VAQUEJADAS NESSE ANO DE 2015 DO Q VARIOS Q ESTAO NA LISTA. SO QUERIA UMA RESPOSTA DOS RESPONSAVEIS A PREMIAÇÃO E DOS MELHORES DO ANO DO CARIRI PARAIBANO OU PERNAMBUCANO. SE QUISEREM SABER O Q GANHEI POSSO POSTAR MEU PREMIOS 2015 COMPROVADOS.
Por: CARLOS JOVEM em 18/12/2015, 18:35h
 
O que não achei justo nessa lista dos melhores do ano foi faltar os nomes de Airton Trajano de serra branca e Rodrigo Guimarães de Sume. Pois foram dos vaqueiros do cariri q mais ganharam durante o ano. Dai deixam de colocar os vaqueiros do cariri pra colocar do Pernambuco.
Por: Marcos em 15/12/2015, 14:54h

 

Todos os direitos reservados a Vaquejada NET 2016 | Webmail | Gerência | Desenvolvido por Fuzzon Tecnologia